O dia em que o Sr. Horácio acertou os seis números da Mega-Sena

O “Seu” Horácio tinha fé que um dia ele seria o contemplado. Ele sempre apostava, toda quarta e sábado estava lá ele na fila da lotérica com o seu volante preenchido com os mesmos seis números de sempre. Eventualmente saia um ou dois dos números que ele jogava, mas ele não desistia.

Sua esposa dizia que o dinheiro que ele gastou jogando na loteria poderia ter comprado um carro de luxo. Essa rotina se repetia há aproximadamente 15 anos: ele comparecia religiosamente na mesma lotérica e apostava os mesmos números. Era amigo das atendentes que sempre conversavam com ele enquanto ele fazia a sua “fezinha”.

– É hoje ein, Sr. Horácio… – dizia uma delas

– É hoje! – respondia ele.

Mas naquela tarde de quarta feira ele estava de fato confiante que era o seu dia, como há muito tempo não ficava. Rabiscou rapidamente os números e entregou para sua conhecida colega e voltou para casa todo contente. Sentia que a vida ia mudar!

Ficou tão confiante de si que aquele dia esqueceu-se de ver o resultado no jornal e a vida seguiu normalmente.

Acordou no domingo e como fazia de manhã, enquanto lia o jornal lembrou-se de conferir o bilhete que tinha guardado em sua carteira.

Bilhete em mãos, começou a conferir. O primeiro número bateu. Ótimo.

Acertou também o segundo, “opa!” exclamou.

E qual não foi a surpresa dele ao ver que todos os outros também batiam! Ele ganhou! Finalmente.

“Eu já sabia!!” gritou assustando a casa inteira. Não podia acreditar, estava milionário. E saiu contando a todos, era o sonho da vida dele se realizando.

Mal pode se conter, festejou, ria à toa. Passou o domingo inteiro festejando, celebrando e rindo de tudo. A vida era maravilhosa. Nem conseguiu dormir direito. Só pensava em acordar cedo no outro dia e ir retirar os seus 40 milhões recém adquiridos. Passou a noite em claro fazendo planos, relendo o bilhete, conferindo e se beliscando. Realmente não era possível que ele ganhou aquela bolada! Mas cada vez que ele via, ficava ainda mais feliz.

Nem bem o dia raiava e o Sr. Horácio, feliz da vida, já estava de pé, assobiando pela casa. Seria o primeiro a entrar no banco para retirar o seu dinheiro. Aquele era o dia mais feliz da sua vida.

Pegou a primeira senha do banco que visitava a anos pra, com grandes dificuldades, pagar suas contas do mês, mas dessa vez com um sorriso denunciador no rosto.

– Bom dia seu Horácio! Caiu da cama? – disse o gerente que vez ou outra batia papo ele sobre a vida.

– A sorte sorriu pra mim! – respondeu ele sorridente mostrando o bilhete premiado.

O gerente se animou, nunca alguém tinha ido até a sua agência para receber um prêmio da loteria, ficou feliz pelo simpático “seu” Horácio.

– Muito bem Sr. Horácio!! Me dá aqui o comprovante para conferirmos e podermos sacar! – disse ele.

E então o Sr Horácio pegou o bilhete do bolso, deu um beijinho de despedida e entregou. Tá chegando a hora. Dentro de alguns minutos ele seria um dos homens mais ricos do país. Enquanto o gerente mexia com o comprovante e olhava no sistema, o Sr. Horácio sonhava mais uma vez, como fizera nas ultimas 24 horas.

Imaginou que a primeira coisa que ia fazer ao sair dali, era passar na concessionária ali da avenida principal e ia comprar um carrão lindo que ele sonhava a vida toda. Depois ia levar a sua esposa passear e comprar o que quisesse no shopping, iria mandar reformar sua casa toda, por tudo do bom e do melhor e …

– Sr. Horácio ? Sr Horácio ?? O senhor está me ouvindo ? – chamou o gerente.

– Ah, pois não filho. Desculpe, eu estava aqui sonhando com o que fazer com essa dinherama toda He He He He – riu.

– Pois é, mas temos um probleminha.

– Qual probleminha ?

– Os números realmente batem. O senhor acertou os seis números. Mas o senhor faz a aposta para o jogo de quarta-feira e o senhor conferiu os números de sábado. O senhor acertou os números de sábado!!!!!

Sr Horácio desmaiou.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.