Um metaleiro no Big Brother Brasil

Enfim o mais famoso reality show do país quebrou um paradigma e derrubou preconceitos.

Colocou em horário nobre e para todo país um metaleiro headbanger na “casa mais vigiada do Brasil”.

A seguir, um breve relato do que foram os dias — inesquecíveis — do metaleiro no programa:

– Na primeira semana na casa, foi o centro das atenções. Seu cabelo comprido até a cintura, sua barba mal feita e seus aproximadamente 1,90m de altura não passaram despercebidos pelos competidores. Nem pelo público.

– No primeiro dia, chegou gritando: “Slaaaaaaayer”. Para ira de alguns e alegria de outros.

– Não tirou a camisa preta para ir à piscina em nenhum dos 65 dias que ficou confinado.

– Era invejado por algumas moças do reality por ter um cabelo comprido, liso e brilhoso, mais do que as futuras musas de capa de revista masculina. E confessou que se “inspirou” por todas embaixo do edredom, ignorando as câmeras e o bom senso.

– Estocou cerveja das festas para beber durante o dia. Sentava-se na piscina admirando os corpos das meninas e enchendo cara. Ignorou patrocinadores e costumava reclamar de ter de beber cerveja de baixa qualidade.

– Passou todos os dias bêbado e reclamava a ausência de vinho

– Na única tentativa de festa “rock” ficou puto quando a produção tocou A-Ha como se fosse rock paulera e tentou fazer bate cabeça com os demais participantes, mas foi quase expulso quando acertou uma cotovelada na boca do nerd da edição.

– Mandou o produtor máster, o famoso “Big Boss”, tomar no c* por reclamar que ele estava sem microfone.

– Numa tentativa de agradá-lo, a produção colocou Judas Priest para tocar em uma manhã, para fazê-lo acordar de bom humor. Acordou fazendo gritaria, air-bateria e perturbando a paz dos companheiros de casa.

– Ameaçava diariamente espancar o emo, mas era apenas estratégia de jogo e intimidação.

– Dava aulas diárias de metal e ficava emputecido quando tocava axé.

– Lia Aleister Crowley quando estava entediado.

– Pulava na piscina simulando mosh, saia e chacoalhava o cabelo pra frente e pra trás irritando as moças que tomavam banho de sol por espirrar água nelas.

– Entrava na academia apenas para “olhar rabos” como admitiu para o playboy da casa. Ostentou uma barriguinha de cerveja orgulhosamente.

– Fora eliminado com 51% dos votos, perdendo para o campeão, na antepenúltima semana do programa. No dia de sua eliminação gritava para os outros metaleiros que foram o esperar no “paredão” palavras de ordem, palavrões e nomes de banda, tudo ao mesmo tempo.

– Enquanto o apresentador discursava para a sua saída, ficou imitando uma arma na cabeça, enforcamento e facada na própria barriga.

– No dia de sua saída usava camisa do Iron Maiden e uma bandana do Ozzy.

– Durante meses o brasileiro se acostumou a repetir os bordões: “Maideeeeen, Slaaaaaaayer, Metaaaallicaaaaaaaaa” e fazer o característico (sic) chifrinho do demônio que ele fizera tantas vezes no programa.

Mas a lição mais marcante, foram as suas ultimas palavras após a eliminação para todo o Brasil:

“Respeitem o Metal”.

Anúncios

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.