O canal da Dona Dina no YouTube é o que você precisa conhecer hoje

Essa senhorinha aqui chama-se Dina Pacheco dos Santos.

Reprodução / YouTube

Algumas semanas atrás, uma postagem onde uma moça mostrava um bilhetinho da Dina viralizou:

Reprodução / Twitter

Dona Dina tem 81 anos de idade e entregava esses bilhetinhos para divulgar seu canal no YouTube.

No canal, aberto desde o começo de 2018, ela interpreta músicas em seu piano.

Entre elas, várias bastante conhecidas e clássicas:

E também uma boa quantidade de composições próprias:

Depois da boa repercussão de seus vídeos, ela mesma resolveu contar um pouquinho da sua história no canal, com o seu jeito muito simpático:

Quando criança, amava demais o piano e pensei assim: ‘quando eu crescer, eu vou ter um piano de todo jeito’. E realmente, aos 22 anos eu consegui meu primeiro piano. Fui com meu pai escondida comprar o meu piano. E por que escondida? Porque minha mãe não gostava de música. Ela achava que eu ia perder tempo. Quando eu era pequena e fazia tricô, ela pensava que eu ia desperdiçar lã e achava que eu ia fazer a mesma coisa com a música. Então, qual não foi a surpresa no dia que o piano chegou aqui e o atrito foi mesmo o que aconteceu. O piano entrou com briga aqui em casa.

E foi o dia mais feliz da minha vida.

Aí me matriculei em uma escola, em um Conservatório muito bom, chamado Carlos Gomes, que era lá na Liberdade. Eu estudei três anos, mas eu trabalhava durante o dia no escritório e a noite, duas vezes por semana, eu ia no Conservatório.

O grande problema é que o meu primeiro piano era de dois pedais e como vocês sabem, ele é muito barulhento. Não tinha como colocar surdina. E nesse ambiente que ninguém gostava de piano pra mim foi muito difícil essa época. Eu também namorava, né, e acabamos ficando noivos. Ele me dizia: ‘Agora você vai fazer enxoval, pra que vai estudar piano? A gente vai casar, não precisa’. Com tanta pressão, eu parei. Foi a mesma coisa que ter um punhal cravado. Foi muita pressão. E aí eu parei. Foi muito duro pra mim.

Como vocês sabem, no Conservatório eles não dão muita música, eles dão mais exercícios. Por isso chama ‘conservatório’, você vai ficar lá nove anos.

Daí eu casei com outra pessoa, não com aquele noivo. Mas o azar é tanto, que ele também não gosta de piano. Ele gosta de violão. Tá bom, é um lindo instrumento. Mas musicalmente, parece que não tem companhia. Então, o que eu faço… o meu problema é o seguinte: eu tenho dificuldade de ler partitura. Por exemplo, quando eu tô tirando uma música, vou ali olhar no teclado e quando eu volto, já perdi onde tava. Graças a Deus eu tenho um ‘problema’ bom com o ouvido e eu toco só de ouvir. Se eu ouvir uma melodia bonita eu quase que posso colocar quase instantaneamente. Esses arranjos (dos vídeos) são meus, são muito particulares, não sei se sou autodidata. Era isso que eu queria contar pra vocês”, diz ela no vídeo para seus pouco mais de quatro mil e seiscentos seguidores.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.