“Mundo da Lua” previu o Tetra e pouca gente se lembra

Quase todo mundo que cresceu nos anos 90 assistiu alguma vez um episódio do seriado “Mundo da Lua”, que contava as aventuras do menino Lucas Silva e Silva e o gravador que ganhou de seu avô, onde ele narrava a sua versão das histórias que aconteciam em sua vida com o inesquecível bordão “alô, alô, planeta Terra chamando. planeta Terra chamando…”

Acontecia algo na casa de Lucas de uma forma que não era bem do gosto dele ou que não parecia tão legal? Ele subia para seu quarto, pegava o gravador e recontava a sua própria versão completamente aleatória e tirada apenas de sua imaginação. E foi numa dessas que ele previu quase que com 100% de acerto que o Brasil seria tetracampeão mundial de futebol em 1994.

Vale ressaltar que o seriado foi exibido entre outubro de 1991 e setembro de 1992.

O torcedor de futebol brasileiro ainda vivia com o trauma de mais de vinte anos sem conquistar o título mais importante que existe e de uma derrota sofrida contra a Argentina na Copa de 1990. Tanto que no episódio chamado “Brasil Tetracampeão”, a história real (não a versão do gravador de Lucas) mostra o Brasil perdendo o título na grande final e amargando mais um ano de jejum, para tristeza da família inteira, especialmente de avô, o Sr. Orlando.

A primeira previsão: o Brasil pegaria na final uma equipe de azul e branco.

Quem lembra daquela copa e daquele jogo, sabe bem que a Itália era um adversário bastante complicado e tinha nomes fortes como Massaro, Baggio, Maldini, Baresi, Pagliuca e tantos outros.

A diferença é que para o episódio, inventaram um país chamado “Gormânia”.

E mesmo tendo o Brasil vencido por 1 a 0 na historinha de Lucas, o jogo também não foi nada fácil.

Segunda previsão: a final da Copa iria para os pênaltis.

Nunca antes na história da Copa do Mundo havia acontecido uma decisão por pênaltis, mas os roteiristas de “Mundo da Lua” tiveram essa iluminação em 1992 e imaginaram que a final de 1994 poderia terminar assim. Dito e feito. Felizmente (pra nós) o Brasil perdeu na história real e coube a versão do Lucas corrigir esse equívoco.

Terceira previsão: o craque da seleção brasileira era baixinho.

Bom, já que o protagonista Lucas era um menino de 10 anos de idade, era natural que ele fosse menor que os outros, né? Mesmo assim, em alguns momentos de sua versão para a história, onde ele entra para decidir o jogo e fazer o gol da vitória, as pessoas se referem a ele como um jogador já adulto e que costumava a jogar bola o tempo todo quando criança. Sendo assim, um atacante baixinho, igual a um certo camisa 11 que brilhou em 1994.

Quarta previsão: o título de tetracampeão.

Tá certo que aí ficou fácil prever, né? Já que houve a versão da “vida real” e a versão sonhada por Lucas e em cada uma delas aconteceu uma coisa diferente. De qualquer maneira, quando a série foi ao ar, ainda faltavam alguns bons anos para a Copa e o Brasil nem ia tão bem assim para achar que o título viria em 1994. Então foi uma boa previsão sim.

O episódio completo com essa previsão você pode ver aqui:

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.