Como seria O Auto da Compadecida se fosse uma série gringa da Netflix?

20 anos depois do lançamento de sua versão em minissérie na TV, o grande sucesso “O Auto Da Compadecida” retornou para a Globo trazendo inovações tecnológicas em algumas cenas, remasterização e (como já era de se esperar) fazendo muito sucesso e aumentando a audiência da faixa de horário em que é exibida, graças a quem ama desde sempre e também quem ainda não tinha assistido essa versão mais extensa do que o longa.

Evidentemente que essa reestreia deu o que falar e gerou muito assunto, como fez o colunista Chico Barney que sugeriu uma nova versão

Pensando nisso, elaboramos uma lista de atores que poderiam fazer uma versão gringa do nosso sucesso para ser exportado em streamings como a Netflix.

Spoiler: provavelmente nunca aconteceria porque tem TANTA gente boa com cachê tão alto, que possivelmente inviabilizaria a produção só na parte de casting. Mas não custa nada sonhar.

João Grilo (Matheus Nachtergale) – Johnny Lee Miller

Apenas um ator que já foi um brilhante detetive com presença de espírito e pensamento rápido como era o Sherlock Holmes de Miller em “Elementary” poderia ser o ‘amarelo’ mais famoso e mais esperto do Brasil.

Chicó (Selton Mello) – Josh Radnor

Para ser o sonhador e contador de histórias Chicó, nada melhor do que Josh, que teve essa experiência sendo Ted em “How I Met Your Mother”. Aliás, essa é uma história de como Chicó conheceu Rosinha, certo?

Padre João (Rogério Cardoso) – Michael Douglas

A saudoso Rogério Cardoso aprovaria ter seu padre picareta interpretado por um cara tão divertido e tão brilhante como o Michael Douglas.

Bispo (Lima Duarte) – Jonathan Pryce

Essa tava fácil, né?

Major Antônio Moraes (Paulo Goulart) – Robert De Niro

É uma coisa bastante de mafioso arrancar tiras de couro das costas dos outros, não é verdade? Então vamos chamar o maior deles disponíveis no momento!

Rosinha (Virginia Cavendish) – Úrsula Corberó

O que Rosinha e Tóquio de “La Casa de Papel” tem em comum? Personalidade forte, esperteza e um senso de liderança invejáveis.

Eurico, o padeiro (Diogo Vilella) – Steve Buscemi

A única diferença entre a versão brasileira e a do Buscemi, é que esse talvez não fosse tão frouxo assim.

Dora (Denise Fraga) – Phoebe Waller-Bridge

Apetite sexual a Dora e Fleabag têm bastante. E o fato de sua vida ser uma verdadeira confusão, também.

Vicentão (Bruno Garcia) – Penn Badgley

O Joe de “You” e o valentão da cidade, o Vicentão, parecem meter medo. A única diferença é que a obsessão do Vicentão, é com ele mesmo.

Cabo Setenta (Aramis Trindade) – Sacha Baron Cohen

Cohen chegou na Netflix fazendo um espião e para ser um cabo não ia faltar muita coisa.

Severino de Aracajú (Marco Nanini) – Danny Trejo

Ao invés de se deliciar com buchada de bode no sertão, o cangaceiro de Trejo talvez preferisse uns tacos no deserto mexicano, como ele mesmo faz questão de lembrar em suas redes sociais.

Cangaceiro “Cabra” (Enrique Diaz) – Paul Rudd

É fácil imaginar Rudd dizendo “matar padre dá um azar danado” com aquela cara de choro que ele tem, né?

Emanuel, o Jesus Cristo (Maurício Gonçalves) – Morgan Freeman

Talvez Morgan Freeman já esteja até um pouco mais velho do que é Emanuel na série original, mas ele é tão a vontade com Deus e em interpretar o Pai, que faria como ninguém.

Nossa Senhora da Compadecida (Fernanda Montenegro) – Meryl Streep

Inúmeras atrizes poderiam concorrer a esse papel, mas para igualar Fernanda Montenegro e sua extensa carreira, só pode ser uma.

Diabo (Luis Mello) – Bryan Craston

Um tinhoso cheio de lábia, charme e humor. Só poderia ser Bryan Craston, quem viu “Lúcifer” sabe bem disso.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.