Essa é a história mais doida sobre o bolo de aniversário de São Paulo

Ano passado em seu Twitter, o @lorpeam contou uma história bastante curiosa sobre a sua experiência pessoa com o tradicional bolo de aniversário de São Paulo.

Para quem não é familiarizado, durante muitos anos, um bolo (feito por moradores, confeiteiros locais ou por patrocinadores) com a metragem correspondente ao aniversário da cidade, era distribuído nas ruas do bairro do Bixiga – por exemplo, no aniversário de 456 anos, era um bolo de 456 metros e assim por diante. A história da thread do @lorpeam aconteceu em 2010, numa tentativa de resgatar a tradição da distribuição do bolo, que havia sido interrompida um ano antes.

Confira como foi na íntegra:

“Parecia uma ideia excelente. Quem já viu vídeo sabe do espetáculo grotesco que é aquela guerra por comida. Parte cai no chão, todo mundo sai sujo de bolo. Imagina umas imagens apelativas de bolo no chão, uma criança olhando (ou comendo, o sonho da produção!)

Durante muitos anos, a distribuição do bolo de aniversário de São Paulo foi assim. (via YouTube)

Aí diária marcada, equipamento reservado, dias antes se descobre que NÃO VAI TER O BOLO! Os patrocinadores caíram fora porque no ano anterior rolou GUERRA DE BOLO (Nota: iniciada pelo programa Pânico na TV com o Ronaldo Ésper junto) e bem, já rolava uma resistência em associar a marca à selvageria de sempre, imagina a uma guerra de comida...

Falaram que não ia ter o bolão, mas ia ter distribuição de Bolo Pullman. A equipe principal (eu era só mic) decidiu gravar mesmo assim – sei lá porque, mas tinham a esperança que muitos daqueles bolos Pullman fossem pro chão, sei lá.

Chegando no dia, 8 da manhã, começa uma MOVIMENTAÇÃO FORTE do povo. A rua tá fechada, tão terminando de montar um palco no meio da Rui Barbosa. Aproximamos pra gravar alguns depoimentos (pra quê?) e povo tá FISSURADO, muita gente com balde e travessa de bolo debaixo do braço, tudo pra pegar o máximo de bolo possível.

A entrevistadora explica que “acha” que não vai ter bolo, vai ser bolo Pullman. Olha, depois da quarta pessoa me senti no início da revolução francesa, parecia que a gente tava incitando uma revolta popular. O boato se espalhando como fogo.

Ouvi de umas 10 pessoas ‘ESTÃO MATANDO O BIXIGA’, outras tinham vindo de longe, muita criança, indignação tipo ‘falso papati patatá’. Aí surge um cara e começa montar UM BOLÃO.

SERÁ?

No fim era um padeiro meio pra promover seu trampo que decidiu fazer ele mesmo um bolo. Não era de 456 metros, claro, era de 456 centímetros (ou 457, não lembro). O que era ainda assim ok, legal do cara, mas tinha já mais de mil pessoas ali, “antevejo problemas”.

O povo ia até ele na esperança de que o que a gente tinha dito era mentira ‘mas e o RESTO?’, o cara explicava e a revolta aumentava. Aí Começa o show de aniversário. Agora preciso explicar quem é o organizador dessa maluquice toda: sr. Walter Taverna.

O Sr Walter em sua famosa cantina.

Quem já frequentou o Bixiga algumas vezes provavelmente sabe quem é o “Seu” Walter. Ele tem quase 90 anos e é dono da Cantina da Conchetta, restaurante da 13 de Maio, e presidente (ou algo assim) da associação dos comerciantes do bairro. É também criador do 1º concurso de anões de São Paulo, do Dia do Anão, do Dia do Sósia, entre outras coisas aleatórias.

Então quem é que tá no palco? A Mulher Pera e um anão (que chamava Gigante), o sósia do Quico do Chaves, o sósia do Papa Bento XVI (e esposa) e o Charlie Chaplin de patins.

Sr Walter ao lado do sósia do Bento XVI em 2015 (via Centro de Memória do Bixiga)

O Seu Walter começa a falar com o povo explicando sobre o bolo, que vai ser distribuído na frente do palco (colocaram uma fita zebrada pra afastar o povo e começaram a trazer caixas da Pullman). Pessoal tava descontente – e o Seu Walter também, ele defendia a ‘porraloquice’ do bolão.

Eu tô com o gravador e microfone próximo aos caras da Pullman, tentando captar o que saía das caixas de som e também o povo reclamando. As câmeras estavam em cima das caixas, pra filmar a galera. O clima tá visivelmente tenso.

Participantes da festa se aglomeram para pegar minibolos no Bixiga (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Teve um breve show da Mulher Pera e Seu Anão Gigante (como anunciado no microfone) e os sósias dançando. Termina, pessoal tá esperando dar meio-dia pra distribuir o bolo. Mas o povo tava maluco. E então olharam pra aquele padeiro com o bolo de 4 metros.

E ATACARAM.

Esse bolo tava mais pra calçada da rua, não tão perto do palco. Foram tipo 5 segundos. Ninguém filmou – nem a Globo – ninguém tava preparado. O padeiro desesperado porque fez aquilo pra aparecer na TV e devoraram numa muvuca. Ele até chorou, tava fazendo a decoração, empurraram, etc.

Aí dá meio-dia. O subprefeito ou alguém do tipo vê que tá feia a coisa e tem uma grande ideia: vamos pedir pro padre dar a benção pros bolos, pro povo e pra cidade. Aí chamam… o sósia do Bento XVI.

Esse é um dos momentos de ouro da minha vida: o sósia do Bento XVI benzendo a cidade de São Paulo fazendo o gestual e mandando um “IN NOME DI PADRE, DI FILHI, DI ESPIRITO SANTI, AMÉN” imitando o jeito do Papa falar, com sotaque.

E o povo respondeu “AMÉM”.

Pessoal da organização começa a gritar “vamos organizar uma fila”. Povo começou a vir pra frente. Pessoal do bolo Pullman começou a distribuir os bolos, mas povo começou a tentar pegar mais. Só tinha uma fita zebrada. Aí deu merda. Povo pressionou e invadiu a área dos bolos, que era meio onde eu tava.

Eu e uma mina da equipe fomos meio prensados e conseguimos entrar debaixo da estrutura do palco. Dava pra ouvir o subprefeito no microfone pedindo calma. Aí surge lá embaixo a Mulher Pera e o Gigante e eles ficaram lá conosco, fugindo.

Felizmente controlaram a galera e conseguiram umas grades de multidão.

A galera mais revoltada também já tinha pego bastante, meio saiu da frente, o resto meio ia pegando conforme chegava nas grades.

Usaram 0 segundos de tudo isso no documentário.

Mas achei um grande dia”.

A Thread completa está aqui.

Em 2017, com a ajuda dos moradores do Bexiga, o tradicional bolão voltou. Mas um pouquinho mais organizado…

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.